CFH – Laboratório de Climatologia

Editora da UFSC prorroga até 20 de março inscrições para o concurso Salim Miguel
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

A Editora da UFSC prorrogou até 20 de março o período de inscrições para o para o II Concurso Salim Miguel, que vai premiar uma obra de ficção inédita na categoria romance, redigida em língua portuguesa. Somente escritores catarinenses ou residentes no estado há pelo menos 05 anos podem concorrer.

As obras inscritas serão avaliadas por uma Comissão Julgadora composta por três membros do Conselho Editorial da Editora da UFSC e por consultores ad hoc indicados e aprovados pelo mesmo Conselho. O resultado será divulgado na internet em novembro de 2017. Como prêmio, o romance será publicado pela Editora da UFSC ao longo do ano de 2018.

Salim Miguel, que faleceu em abril de 2016, era jornalista e escritor. Produziu romances, contos e crônicas e recebeu, entre outros, o prêmio Machado de Assis pelo conjunto de sua obra. Foi ainda o segundo diretor da Editora da UFSC, de 1983 a 1991, responsável por consolidá-la no mercado editorial nacional.

“Publicamos, principalmente, livros de divulgação científica e cultural e, de forma mais tímida, a literatura. Nesse contexto, a ideia de promover concursos literários surgiu em razão de um desejo de incentivar a produção artística em Santa Catarina”, observa a atual diretora-executiva Gleisy Fachin.

Dessa forma, foram realizados, desde 2010, concursos que abrangem os mais importantes gêneros literários. Em 2011, o Concurso Salim Miguel [Romance] premiou a obra Ao que minha vida veio…, de Alckmar Santos. Em 2012, no Concurso Rogério Sganzerla [Roteiro: teatro e cinema], o vencedor foi Suéter laranja em dia de luto seguido de Não sempre, de André Felipe. Em 2013, o Concurso Maura de Senna Pereira [Crônica] selecionou Crônicas das cidades partidas, de Jeana Laura da Cunha Santos. Em 2014, no Concurso Cruz e Sousa [Poema], a obra vencedora foi Curral, de Rubens da Cunha.

Em 2015, o Concurso Silveira de Souza [Conto] escolheu Guia literário para machos, de Caléu. Em 2016, o Concurso Cleber Teixeira [Tradução de Poesia] foi a única exceção à participação exclusiva de concorrentes catarinenses, pois ampliou para pessoas nascidas ou residentes no Brasil. A obra premiada foi Poesia religiosa: antologia (The divine poems, de John Donne), tradução de Marcus de Martini.

Mais informações em www.editora.ufsc.br.

 

Curso de formação em Auriculoterapia abre inscrições nesta quarta, dia 1º de março
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

O Ministério da Saúde, em convênio com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), abre, na quarta-feira, dia 1º de março, inscrições para a segunda edição do Curso de Formação em Auriculoterapia para Profissionais de Saúde da Atenção Básica, em formato semi-presencial. O mesmo curso já formou, em 2016, cerca de 1200 profissionais. Informações e inscrições podem ser realizadas por meio do site: http://auriculoterapiasus.ufsc.br.

O curso é dividido em 2 etapas: uma a distância com carga horaria de 75 horas, e outra presencial, com carga horária de cinco horas. As edições do curso são realizadas em diferentes estados do país, com a etapa presencial ocorrendo em municípios-polo regionais previamente selecionados.

Os candidatos devem ser profissionais de saúde de nível superior da atenção básica, lotados nas equipes de Saúde de Família, NASF (Núcleos de Apoio à Saúde da Família) e ou unidades básicas tradicionais (centros de saúde). O curso é totalmente gratuito.

Cronograma

  • Abertura das inscrições: 01/03/2017
  • Término das inscrições: 20/03/2017 às 23h59
  • Homologação das inscrições: 21 a 23 /03/2017
  • Prazo para confirmação das inscrições dos homologados: 24/03/2017  a 25/03/2017 as 23h59
  • 2ª chamada de homologação: 27/03/2017
  • Prazo para confirmação das inscrições da 2ª chamada: até 29/03/2017 as 23h59
  • Início da etapa EAD: aguarde informações
  • Prazo para finalização da etapa EAD (para acesso a etapa presencial): aguarde informações
  • Data, hora e local da etapa presencial: aguarde informações sobre o seu polo no link

 

Mais informações:
auriculoterapia.sus@contato.ufsc.br

Jornal eletrônico ‘Qorpus’ lança novo número
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

O jornal on-line Qorpus, em seu primeiro número de 2017, oferece aos leitores uma antologia de poesia brasileira contemporânea que abrange poemas verbais, visuais e sonoros, criados por 23 poetas que usam como meio de expressão não apenas a língua portuguesa, mas também outros idiomas falados no Brasil (janela “Teatro na praia”): Annita Costa Malufe,  Cláudio Trindade, Delmo Montenegro, Dennis Radünz, Douglas Diegues, Eduardo Sterzi, Fabio Weintraub, Fabrício Marques, Francesca Agiolillo, Josely Viana Batista, José Kozer – Tradução de Josely Vianna Baptista, Jussara Salazar, Livio Tragtenberg/ Haroldo de Campos, Leonardo Gandolfi, Luci Collin, Manoel Ricardo de Lima, Marcelo Tápia, Ricardo Aleixo, Ricardo Corona, Ricardo Domeneck, Sérgio Medeiros, Virna Teixeira, xamã hupd’äh Ponciano Socot.

“Cadavre exquis”, de Man Ray, Joan Miró, Max Morise, Yves Tanguy

A entrevista deste número é com o compositor e professor Livio Tragtenberg, que fala sobre as novas escolas de música e a música de rua, entre outros temas (janela “‘…à procura de autor’”).

Entre os ensaios, citaremos um texto sobre Ricardo Piglia e a tradução de um artigo de Winston Churchill sobre retórica (janela “Como é”). Colaboram nesta seção, entre outros, Diogo Berns, Leide Daiane de Oliveira, Manoel Ricardo de Lima, Raquel Naveira e Rodrigo Conole Lage.

Na Agenda Cultural, a quarta edição do Printemps Littéraire Brésilien, que ocorrerá em três países, Bélgica, Portugal e Espanha, além da França, entre os dias 20 de março e 5 de abril. O autor catarinense Carlos Henrique Schroeder é um dos convidados.

 

Restaurante Universitário do CCA estará aberto na quarta-feira, 1º de março
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

A direção do Restaurante Universitário comunica que o Restaurante Universitário (RU) do Centro de Ciências Agrárias (CCA), em função do feriado de Carnaval, estára fechado nos dias 27 e 28 de fevereiro, segunda e terça-feira, respectivamente. O RU reabrirá em horário normal na quarta-feira, dia 1º de março.

Palestra de presidente da Academia Brasileira de Ciências explica uso de tecnologias baseadas em física quântica
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

O professor do curso de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro e presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Luiz Davidovich, apresentou uma palestra no Auditório do EFI na tarde da última terça-feira, 21 de fevereiro. O evento, que lotou o espaço, tratava de uma apresentação sobre o projeto de pesquisa em Física Quântica, suas diferenciações em relação à Física Moderna e o estado da aplicação nas tecnologias contemporâneas.

Durante o evento, o professor explicou o surgimento da Física Quântica e suas primeiras dificuldades de compreensão para os estudiosos da Física Moderna até meados do século XX. Isso se devia, basicamente, à dificuldade de medir e avaliar resultados e determinados comportamentos de elementos na Física. Como exemplo, citou alguns paradoxos difíceis de digerir até então, como o comportamento dos spins em um fóton quando polarizados – um fenômeno presente em feixes de laser. Tais valores existem de maneira indeterminada, e o próprio ato de medir seus valores é que os determinam, passando a ser trabalhados como probabilidades.

Palestra com Luiz Davidovich - Foto Henrique Almeida

Palestra com Luiz Davidovich. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

A aplicação destes fenômenos, explicou o professor, está presente na criação de elementos na mecânica (uso de lasers no setor de construção civil), na informática (leitores de mídias físicas como DVDs e Blu-rays) e, no setor de comunicação, o uso da metrologia quântica para medir valores de alta precisão. “Mas é importante lembrar,” Davidovich comentou em entrevista, “que os pioneiros da Física Quântica começaram os estudos no começo do século XX sem preocupação nas aplicações, mas antes de tudo, por uma imensa curiosidade sobre as coisas e como elas se comportam. E que hoje possuem aplicações indispensáveis na nossa sociedade.”

Gabriel Daros Lourenço/Estagiário em Jornalismo/Agecom/UFSC

Isenção nos cursos de línguas estrangeiras para estudantes indígenas
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (Saad) acaba de publicar o Edital Nº 001/Saad/2017, acerca do processo seletivo destinado aos estudantes indígenas matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação, e que ingressaram por meio de Ações Afirmativas. Serão sorteadas dez bolsas de estudos, com isenção do pagamento dos cursos extracurriculares de línguas estrangeiras para a modalidade presencial, a serem promovidos pelo Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE) do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC.

O Edital trata da isenção do pagamento do primeiro semestre de 2017. Para participar é necessário se inscrever por meio do e-mail crer.saad@contato.ufsc.br, até o dia 6 de março, segunda-feira, às 12h, contendo os seguintes dados: nome completo, idioma de interesse, e-mail, telefone, número de matrícula e curso de graduação ou pós-graduação. A obtenção da isenção não garante a vaga no curso, visto que as matrículas devem ser efetuadas pelo próprio estudante indígena, exclusivamente pela internet, na página do curso, conforme o cronograma e as normas de matrículas estabelecidas pelo DLLE.

A seleção será realizada mediante a apuração do número de inscritos em relação ao número de isenções disponíveis. Caso o número de inscritos ultrapasse o número de isenções disponíveis, será realizado um sorteio, no dia 6, às 14h15, na sala da Coordenadoria de Relações Étnico Raciais da Saad, localizada no andar térreo do Prédio da Reitoria I.

No dia do sorteio, a Secretaria irá disponibilizar, na página http://saad.ufsc.br/ a lista com os nomes e os números de inscrição dos estudantes indígenas. Serão sorteados 15 estudantes indígenas, os cinco últimos estudantes sorteados ficarão em lista de espera caso algum contemplado não realize a matrícula presencial.

 

Mais informações:
(48) 3721-5943 e 5945
crer.saad@contato.ufsc.br

Edições do Bosque lança livro ‘Evolução, Cultura e Comportamento Humano’
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

Livro_EvolucaoCulturaO programa Edições do Bosque, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) acaba de lançar o livro “Evolução, Cultura e Comportamento Humano”, organizado pelos professores Mauro Luís Vieira e Angela Donato Oliva. O objetivo é apresentar reflexões sobre temas relacionados com evolução, cultura e comportamento humano na contemporaneidade, baseado na premissa que os nossos comportamentos são resultados, também, da história produzida ao longo do processo de evolução da nossa espécie.

A obra apresenta questões recentes e tendências atuais que integram diferentes níveis de explicações sobre as causas do comportamento. Procura mostrar que em vez de separar as várias dimensões do comportamento humano em dicotomias (inato versus aprendido; cultural versus biológico), a integração entre esses fatores certamente é uma estratégia promissora.

No primeiro capítulo, é realizada uma consistência discussão envolvendo esclarecimentos sobre os mal-entendidos do que é Psicologia Evolucionista. No segundo, é apresentado um panorama evolucionista e cultural sobre cooperação. No terceiro capítulo, procura-se destacar os aspectos da nossa história filo e ontogenética sobre cuidados parentais e desenvolvimento infantil.  Por último, há um capítulo sobre as origens evolutivas do amor. A obra inclui, ainda, um glossário sobre os termos mais utilizados.

“Evolução, Cultura e Comportamento Humano” pode ser acessado pelo link.

 

Mais informações:
Edições do Bosque 

‘O país está matando a galinha dos ovos de ouro’, diz presidente da Academia Brasileira de Ciências
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

Defesa do investimento na ciência e na educação básica no Brasil são essenciais para o desenvolvimento do país, afirma o presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Luiz Davidovich. Ele participou do V Encontro de Física e Astronomia da UFSC com a palestra “Einstein, Schrödinger e as novas tecnologias quânticas” e foi entrevistado pela Agência de Comunicação da UFSC sobre as perspectivas de inovação e pesquisa no Brasil.

Como a ABC vê a situação do financiamento à ciência no país, em um cenário com a aprovação da PEC 55 e redução de verbas para entidades como a Faperj e Fapesp?

Luiz Davidovich: Vemos isso com muita preocupação. Mais que isso, achamos que a situação das fundações de amparo à pesquisa (FAP) em vários estados sofre ameaças contínuas. Houve uma tentativa de tirar parte dos recursos em São Paulo. Esses recursos estão voltando, mas ainda há uma discussão de como serão utilizados. A FAP da Bahia está em situação semelhante à do Rio de Janeiro. Então o cenário é muito ruim para a ciência e tecnologia, o que significa que o futuro do país está seriamente ameaçado. No mundo de hoje, baseado cada vez mais no poder do conhecimento, o Brasil está jogando na retranca, andando para trás. O orçamento deste ano do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) ainda não alcançou o nível de 2013, corrigido pela inflação. Temos ainda um contingenciamento de recursos, o nome é reserva de contingências. Significa o seguinte: dão o dinheiro, mas o dinheiro não vem. O contingenciamento em cima da ciência e tecnologia é muito alto, da ordem de 30% ou mais. O que podemos depreender disto? Que as elites deste país, quem está governando este país, não entende o papel da ciência e tecnologia no desenvolvimento nacional. Isto é entendido em outros países. Nos EUA, cerca de 2,8 % do PIB (Produto Interno Bruto) é aplicado atualmente em pesquisa e desenvolvimento, com grande participação das empresas. A China está com 2%, com perspectivas de chegar em 2020 com 2,5%. A União Europeia chegou a um acordo que leva, em 2020, o investimento em pesquisa e desenvolvimento a 3% do PIB. Coreia do Sul e Israel estão com mais de 4%, Suécia já está com 3%. Enquanto isto, o Brasil está próximo de 1%.

Luiz Davidovich é presidente da Academia Brasileira de Ciências. Foto: Henrique Almeida/Diretor de Fotografia/Agecom/UFSC

Luiz Davidovich é presidente da Academia Brasileira de Ciências. Foto: Henrique Almeida/Diretor de Fotografia/Agecom/UFSC

E se aumentar o PIB, há mais chance de melhorar o futuro…

Luiz Davidovich: Claro. Fico vendo medidas de emenda constitucional, como a PEC 55, que limita os gastos do governo pela inflação do ano anterior baseada só em duas variáveis, o aumento do PIB e a taxa de inflação, e faz um modelo para 20 anos. É uma limitação de gastos que não considera coisas básicas. Outros países não consideram ciência e tecnologia como gasto e sim um investimento. Curiosamente, subvenções para empresas ficaram fora do teto de gastos. Mas a área de pesquisa e desenvolvimento ficou. O que gera uma contradição: para sair da crise, você tem que aumentar o PIB. E uma das maneiras é investir em ciência e tecnologia. É isso o que fazem as partes do mundo que estão se desenvolvendo, como EUA, China, Japão, Europa. A ideia é fazer isto para aumentar o valor agregado dos produtos. Será que vamos continuar dependendo de commodities nos anos que estão por vir? Qual o problema de depender de commodities? É que o preço é fixado lá fora. Ficamos à mercê de uma variação de preço da qual não temos controle. Se baixa o preço do petróleo, se a China começa a comprar menos ferro do Brasil, é tragédia nacional. Exportamos pelotas de ferro para a China, que as transforma em aço, agrega valor. E nós continuamos com isto. A agricultura é um exemplo de como a ciência pode ajudar o país. Quando exportamos alimentos, precisamos considerar que a ciência já deu uma grande contribuição para a agricultura brasileira. Aumentou a produtividade da soja em quatro vezes. O investimento que foi feito na área de ciência na pesquisa em agricultura foi multiplicado por várias vezes por causa do valor agregado, da eficiência da produção, que dependeu de descobertas da ciência brasileira. A grande descoberta aí foi o processo de fixação de hidrogênio no solo, através de um processo biológico (com bactérias), o que permitiu que na mesma porção de terra se produzisse quatro vezes mais soja do que antes. Este não é o único exemplo, há muitos outros. As pessoas ignoram que a maior fábrica de compressores do mundo, usados em geladeiras e condicionadores de ar, é a Embraco, que nasceu aqui em Santa Catarina, com a participação muito ativa do departamento de Engenharia Mecânica (da UFSC). Foi comprada há uns anos pela Whirlpool, desnacionalizada, mas continua fazendo pesquisa aqui, colaborando com a Engenharia Mecânica. Isto é um grande feito, um exemplo de protagonismo internacional do país. Como também são um exemplo os aviões da Embraer, que concorrem com grandes potências estrangeiras. Conseguimos vender para a União Europeia, para a China. Isso mostra como o investimento em ciência traz retornos para o país. Tem trazido, agora não podemos ficar só com o que temos. Áreas muito importantes estão sendo desenvolvidas em outros países e nós estamos dormindo no ponto. A impressão que eu tenho do que está acontecendo com as FAPs, e ao procurar fixar um teto de gastos que inclui o investimento em pesquisa e desenvolvimento, o país está matando a galinha dos ovos de ouro.

Em um momento de crise financeira, sempre se fala em diluir recursos em iniciativas como a da Embrapii e de outras parcerias público privadas? Por que isso é pontual, e não funciona como política de estado?

Luiz Davidovich:A resposta não é simples, mas podemos definir alguns elementos. Existe um esforço de longos anos para incentivar a inovação nas empresas brasileiras. Houve leis específicas para este fim, em 2004, a Lei de Inovação para incentivar o esforço de inovação das empresas e até a colaboração de empresas com universidades. Mas isso está muito fraco se compararmos com o que ocorre em outros países. Aqui, cerca de 40%, do fraco investimento que temos em pesquisa e desenvolvimento vêm de empresas; 60% vem do Estado. Em outros países é o contrário: 60% de empresas e 40% do estado. As empresas poderiam ter uma participação muito maior.  E por que não fazem? Uma das razões é ligada à taxa de juros no Brasil. Investimento e inovação trazem riscos, então os riscos têm que ser pesados versus a aplicação no mercado financeiro. O mercado financeiro também tende a atrair cérebros que poderiam estar se dedicando a fabricar novas tecnologias. Há quatro semanas saiu na revista The Economist um artigo do (Barack) Obama, chamado The way ahead (O caminho à frente), de despedida do cargo de presidente dos Estados Unidos. Neste artigo, tem uma frase que diz mais ou menos o seguinte: ‘Eu gostaria que nossos físicos e engenheiros empregassem seu tempo desenvolvendo inovação, ao invés de gastarem o tempo manipulando recurso no mercado financeiro’.  Ele está dando uma mensagem muito clara aos jovens do país: ‘Precisamos de vocês trabalhando em inovação, em ciências, novas tecnologias’. Eu não vejo este estímulo sendo dado aos jovens brasileiros. Deveria vir das mais altas autoridades do país. Pelo contrário, o que se fala aqui é só em termos de ajuste econômico. Nossos economistas talvez entendam de equilíbrio de finanças numa sociedade estável. Isto se aprende lá fora. Não vejo economistas do Brasil que se preocupem com o papel essencial da ciência e tecnologia no processo de desenvolvimento. Vários economistas fazem trabalhos brilhantes sobre o papel das ideias no desenvolvimento econômico. Paul Romer, atual economista chefe do Banco Mundial, tem trabalhos sobre isso. Aqui no Brasil temos alguém que pense sobre isso? Não conheço. Certas medidas têm alcance necessariamente limitado porque são muito sensíveis às condições iniciais. Economia é um sistema muito complexo. Em 20 anos, não temos a menor ideia do que pode acontecer no Brasil. Quando foi feito este programa (PEC 55), achava-se que a Hillary Clinton seria eleita presidente. Venceu o Trump, e aí? Muda a perspectiva, muda o cenário. Acho até certa arrogância fazer um ajuste fiscal, por um prazo de 20 anos, sem considerar que o PIB pode aumentar, melhorar a situação do país e diminuir a desigualdade. Por que as empresas não participam mais da inovação? Taxa de juros alta, mercado financeiro dando retorno para quem tem dinheiro, e falta de estímulo aos jovens.

Há algum problema cultural nas empresas brasileiras para não investir em pesquisa. Sem este investimento, as empresas vão diminuir de tamanho…

Luiz Davidovich: Vão, mas isto é o que tem acontecido. Mas em estados que tem uma continuidade de financiamento, como é o caso de São Paulo, existe outro quadro, com várias empresas inovadoras. A Fapesp foi respeitada durante muitos anos, sobreviveu ao Paulo Maluf, e continua financiando ciência básica, ciência aplicada e empresas inovadoras. Quando há espaços tecnológicos, surgem estas empresas. Então temos exemplos disso no país. Aqui em Santa Catarina também temos. No Rio Grande do Sul, temos um parque tecnológico muito grande. No Rio de Janeiro, temos na Ilha do Fundão (UFRJ) um parque tecnológico importante com muitas empresas, que foram para lá até em função do trabalho da Petrobras. O centro de pesquisas da Petrobras é da Coppe, que está no Fundão. Tem vários exemplos positivos, mas precisamos de muito mais, de um esforço concentrado para formar pessoas para isto. Temos um déficit de engenheiros de alta qualidade. Os problemas que interferem com a inovação no Brasil estão razoavelmente mapeados, já existem propostas, agora falta o governo arregaçar as mangas e fazer.  E tem que fazer opções. Vai privilegiar o capital financeiro ou o capital produtivo? Quem vai pagar mais pela crise? Será o pessoal mais pobre ou os que têm mais bens e de alguma forma se beneficiaram deste desenvolvimento mais recente?

Em que pé estão as relações do governo com as entidades representativas como a ABC. Há diálogo do governo com a comunidade científica?

Luiz Davidovich: Nós temos um bom diálogo com o ministro (Gilberto) Kassab, isto é preciso reconhecer. Ele conseguiu reunir o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, que não se reunia há muito tempo, e que tem a participação da comunidade científica, empresários, de outros ministérios. Foram formados grupos de trabalhos setoriais sobre vários temas do Conselho. Além disso, somos convocados para reuniões periódicas no ministério, junto com outros setores da sociedade para discutir medidas de política científica e tecnológica. Então sem dúvida tem havido diálogo. Claro que teve medidas que não foram precedidas por este diálogo. Uma delas foi o rebaixamento do CNPq na estrutura do MCTIC. É bom enfatizar que, em vários países, órgãos equivalentes não estão ligados a ministérios. De fato, eles têm uma independência, uma estrutura autônoma. Claro, o ministério dá os recursos para estes órgãos, mas após os recursos dados, a decisão é deles. Isso ocorre com a National Science Foudantion, nos Estados Unidos, com fundações equivalentes ao CNPq neste sistema, por exemplo como na Áustria. São entidades autônomas, que não estão dentro da estrutura de um ministério. Aqui no Brasil, o CNPq foi rebaixado, e está no mesmo nível da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Sobre o rebaixamento do CNPq, nós certamente não fomos consultados.

A presidente da SBPC, Helena Nader, desabafou que uma saída para os pesquisadores é o exterior? O senhor teve esta experiência, mas num contexto diferente, na ditadura. Como o senhor avalia esta situação dos pesquisadores que não encontram verbas para realizar seu trabalho?

Luiz Davidovich: Eu acho que está havendo esta tendência, mas dependendo do país não é tão fácil assim arranjar bons empregos. É muito difícil você manter o jovem promissor no Rio de Janeiro com as perspectivas de financiamento. Ele vai pensar na carreira e vai acabar saindo. É um fato. Agora, eu não recomendaria para estes jovens saírem do país, mais por uma posição política, dizendo o seguinte: ‘Nós estamos em crise, mas temos um papel cada vez mais importante à medida que essa crise aumenta, que é o de batalhar  através dos meios que dispomos, dos contatos na imprensa, da interlocução com o executivo e legislativo para reverter este processo’. Eu não vou desistir disso. Acho que os jovens pesquisadores têm esse papel também. A ABC e a SBPC têm este papel de vocalizar as críticas claramente através da imprensa, ir ao Congresso, participar de audiências públicas, convocadas por congressistas que têm uma visão boa do papel da ciência. São poucos interlocutores nossos, mas suficientes para convocar uma audiência pública. Participamos para mudar corações e mentes nesta área. Agora, certamente, eu gostaria muito, e creio que a Helena (Nader) também, que tivéssemos apoio e uma militância maior dos pesquisadores em geral neste país. É bom lembrar que os pesquisadores aqui de Santa Catarina têm um acesso natural aos seus parlamentares, que certamente ficariam preocupados de ver uma parte de seu eleitorado ficar contra eles. Tem que levar isto em conta e fazer uma campanha nacional para mudar esta visão, do que ciência e tecnologia significam para este país.

As pessoas têm noção do que se faz em ciência no país? Quando você fala que caiu o financiamento da Fapesp em 11%, o que o cidadão sabe disso?

Luiz Davidovich: É uma tarefa que não é de curto prazo. A gente pode fazer coisas agora, mas não é de curto prazo e é dificultada pelo grau de negligência que cercou a educação básica neste país, por exemplo. Uma boa parte da população brasileira não teve educação adequada. Professores de educação básica são desprestigiados, ao contrário do que acontece em outros países. Quando você pergunta para um jovem estudante na Coreia do Sul o que ele quer ser quando se tornar um profissional, você vai ver vários dizerem querer se tornar professores. Você pergunta por que e ele vai dizer que é uma das profissões mais admiradas. Ganha muito bem, tem um dos salários mais altos. Nós temos que reverter este quadro, o processo começa na educação básica. O apoio à educação em ciências é importante por várias razões. Primeiro, porque é parte da cultura moderna. Você não consegue entender o mundo sem uma boa educação. Mas é parte da democracia também. O Congresso, não só no Brasil, mas em outros países, discute questões fundamentais. Devemos permitir a pesquisa de células tronco ou não?  O papel da engenharia genética na agricultura: qual o tipo de controle deve haver? A energia nuclear, devemos usá-la ou não? São questões com um fundo científico forte. Como é que o Congresso vai decidir isso sem a necessária cultura científica. Acho que é um elemento fundamental melhorar a educação científica da população. Até para podermos explicar para a população a importância da ciência. Por outro lado, é preciso a colaboração dos órgãos de imprensa para chamar atenção para coisas que a ciência já fez pelo país. E algumas entraram em evidência muito recentemente, como é o caso, no estado do Rio de Janeiro, do combate à zika. Ganhou forte relevância social, porque foi muito evidente a resposta rapidíssima que foi dada à epidemia de zika. Sob a liderança da Faperj, redes de pesquisadores, que não estavam dirigidos para a zika, mas faziam ciência básica nesta área, rapidinho puderam resolver. Todo um esforço que gerou resultado em tempo recorde. Teve artigo publicado (na revista) Science, veja só. O que mostra a qualidade do trabalho que foi feito, como o do Instituto Oswaldo Cruz, com descobertas relativas à influência da zika no cérebro das crianças. Isto tudo foi produto da ciência brasileira, que respondeu rapidissimamente, mostrando a importância de ter grupos fortes que possam dar respostas rápidas no combate a essas epidemias. Acho que isso passou para a sociedade. Agora tem muitas outras áreas que também precisariam. Toda a área de remédios, vacinas, que envolve muita pesquisa: tem Butantan, Fiocruz. A área de energia também tem coisas como o petróleo, a presença internacional da Petrobras se deu assim, desenvolveu-se aqui no Brasil tecnologias para explorar petróleo em áreas profundas. É outro exemplo disso, deveria ser mais divulgado para a população. O jornalismo científico melhorou muito aqui no Brasil, mas tem muito a desenvolver, comparado ao que ocorre em outros países.

O senhor falou em educação básica. Como encara a atual reforma do ensino médio?

Luiz Davidovich: Confesso que não segui muito de perto, outras pessoas na academia poderiam responder melhor do que eu. Apenas posso fazer uma observação mais geral que é a seguinte: quando você fala em reforma do ensino médio, você tem uma questão relativa aos currículos. Existe um esforço de dar mais flexibilidade à formação. Agora, isto tem que vir junto com o aumento da importância social e do reconhecimento dos professores de educação básica. Senão, não adianta. Você pode fazer o currículo mais bonito do mundo, mas a sua implementação vai ter problemas. E tem que mudar os métodos de ensino. Hoje em dia, nos países mais desenvolvidos, ensinam a fazer experimentos com materiais facilmente disponíveis. Tem vários movimentos no Brasil que fazem isso. Tem um tradicionalmente associado à Academia Brasileira de Ciências que se chama ‘Mão na massa’ e treinou professores de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, atingindo indiretamente centenas de milhares de crianças. Os professores levavam o método para os seus estudantes. Agora, no Brasil, o problema não é de centenas de milhares, é de milhões. Para atingir os milhões de estudantes, precisaria incorporar estes métodos do tipo ‘Mão na massa’ ao currículo de formação de professores de ensino básico. Teriam que aprender isso nas universidades. Nós tivemos um contato com o MEC (Ministério da Educação) anos atrás, e nos propusemos a organizar workshops, oficinas de trabalho, para professores, de modo que aprendessem estes métodos. Mas no MEC, o secretário de Ensino Superior muda com muita freqüência, e o cara que teve esta ideia sumiu. Acho que precisava formar formadores de formadores e isso permear, pelo menos, para os grandes centros de formação de professores. Outra ideia da Academia, mesmo em universidades como a Federal do Rio de Janeiro, a formação de professores é feita à noite, em cursos noturnos, porque o pessoal trabalha de dia para sustentar a família. Exatamente por isto, não pode ter o mesmo nível do que o curso de bacharelado diurno, porque não consegue acompanhar, não tem muito tempo de estudo. Quer fazer algo sério, para melhorar o ensino básico, vamos fazer uma proposta da Academia. O MEC lança um edital, com inscrições públicas, dizendo o seguinte: temos um curso de licenciatura diurno, com professores qualificados, um quadro docente com bons professores, e esta instituição terá direito a admitir alunos, até um certo número, com bolsa no valor do salário mínimo da região, para que não precise trabalhar e o dinheiro dele venha através desta bolsa. Eles estudariam durante o dia, como os estudantes de bacharelado. E quando termina, você tem que cuidar para que tenham um bom emprego e vai ter uma obrigação deles, feito serviço militar. Se recebeu aquela bolsa vai ter que trabalhar um certo tempo nas escolas, não pode sair de lá e ir para outra profissão. Tem que haver alguma medida deste tipo para começar a formar bons professores e fazer que os melhores alunos do secundário tenham como aspiração serem professores de educação básica, que é o que ocorre em outros países.

Como captar as pessoas de todas as classes sociais, com interesse e talento, para fazer pesquisa?

Luiz Davidovich: Envolve formar professores de elite para a educação básica e uma preparação do governo como um todo. O governo deveria fazer marketing nesta direção, dizendo ‘Consideramos que esses professores são essenciais para a nação’. Foi feito na Inglaterra propaganda neste sentido, ‘precisamos de você’. Na Coreia do Sul, os alunos que entram nestas escolas de preparação de professores do ensino fundamental estão entre os 5% melhores do secundário. O número de vagas é limitado, há uma concorrência forte. Agora, quem entra já tem emprego garantido depois, porque o número de vagas abertas é igual ao número de vagas projetadas para quatro anos depois. E o salário é bom. Chegará o dia, espero, em que aqui no Brasil, ser professor de educação básica e principalmente da educação fundamental, será a profissão mais importante do país. Senão fica difícil. A crise vai acentuar isso, está aumentando a desigualdade no Brasil. As pessoas falam em importar cérebros da Europa, Estados Unidos. O Brasil tem que importar para o seu desenvolvimento científico e tecnológico, os milhões de cérebros desperdiçados nas comunidades, nos morros. Então este é o grande lance que poderíamos fazer.

Caetano Machado/Jornalista da Agecom/UFSC

Foto: Henrique Almeida/Diretor de Fotografia/Agecom/UFSC

Coletivo Kurima leva exposição ‘A Beleza dos Nossos Corpos Negros’ à Universidade Federal do Sul da Bahia
Publicado em 24 de fevereiro de 2017

Cartaz--02_lowO Coletivo Kurima leva a exposição “Ensaio Fotográfico: A Beleza de Nossos Corpos Negros”, de 2 a 10 de março, no campus Sosígenes – Porto Seguro, em Eunápolis, Bahia. O objetivo do projeto é fortalecer a identidade negra, a partir da estética natural da geografia corporal das pessoas negras, que se afirmam no mundo mais fortalecidas e empoderadas pela aceitação de seu eu natural, livre das amarras dos padrões impostos pelos modelos de beleza. Esta exposição busca contribuir para que se abram muitas reflexões, ações e ensino em torno de temas como: identidade, corpo negro, raça, relações ético raciais, arte negra, representatividade, racismo e desconstrução da normatividade.

A abertura da exposição ocorre no dia 2, quinta-feira, com apresentação do Componente Curricular “Estética Negra” e entre os dias 3, 7 e 10 de março, a exposição será aberta com atividades agendadas de imersão como roda de conversa, aula /performática e performances artísticas.

Fotografia: Diana Souza

Concepção e Coordenação Geral: Roberta Lira

Realização: Coletivo Kurima – Estudantes Negras e Negros da UFSC e Kurima Bantu Mulheres MUDEMPODIRO

Patrocínio: Universidade Federal de Santa Catarina e Secretaria de Cultura  e Arte da UFSC (SECARTE)

Apoiadores:
Universidade Federal do Sul da Bahia(UFSB)
Centro Socioeconômico (CSE/UFSC)
Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC)
Centro de Comunicação e Expressão (CCE/UFSC),
Curso de Graduação em Artes Cênicas (UFSC)
Núcleo de Estudos Afro Brasileiros (NEAB/UFSB-PS)
Instituto Axé Brasil
Projeto de Extensão Vozes de Zambi
Núcleo Lev’Arte (Angola-Brasil)
Aliança Francesa
Diana Fotografia
Coppir (Florianópolis)
Nelool (UFSC)
Sintufsc
Imprensa Universitária(UFSC)
MarquE Museu (UFSC)
Biblioteca Universitária (UFSC)

Locais onde a exposição já esteve presente:

- Museu de Arqueologia e Etnologia da UFSC durante duas semanas, dezembro\2015;
- Biblioteca Central da UFSC de 4/01 a 1º/07/2016;
- III Congresso Internacional de Professores das Línguas Oficiais do Mercosul (CIPLON) em junho\2016;
- Amostra da exposição esteve no 1º Encontro de Relações Étnico Raciais (ERER), da Lei 10.639, no Centro Integrado de Cultura (CIC);
- Museu, Memória e Cultura Afro-brasileira, realizado pelo Sistema Estadual de Museus da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), parceria entre Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no Centro de Integrado de Cultura, 16/agosto/2017;
- I Encontro de Práticas Culturais e das Artes de Matriz Africana (I EPRACUAMA) , no Centro de Integrado de Cultura, no novembro Consciência Negra 2017.


Mais informações:
(48) 9914-2493 ou robertavozes20@gmail.com / dossiekurima@gmail.com

Vídeos

 

Ensaio fotográfico:

 

Entrevista da coordenadora geral Roberta Lira para o IELA:

 

Sobre o Coletivo Kurima: http://diversifica.ufsc.br/kurima/

Bolsa Cultura 2017 recebe inscrições de estudantes e servidores até 3 de março
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

ÚLTIMOS DIAS PARA INSCRIÇÃO (1)As inscrições para o Edital Bolsa Cultura 2017 estão abertas até sexta-feira, 3 de março de 2017. O Programa de Bolsas de Extensão vinculadas às Ações de Arte e Cultura (BEAC) é gerenciado pela Secretaria de Cultura e Arte da UFSC e tem por objetivo oferecer auxílio financeiro a estudantes de graduação; incentivar sua participação no processo de criação artístico-cultural; proporcionar o envolvimento de estudantes, servidores técnico-administrativos e professores efetivos em atividades artístico-culturais e estimular a participação dos estudantes em projetos de Cultura e Arte desenvolvidos pela UFSC. O programa disponibilizará até 60 bolsas. As bolsas serão concedidas por 12 meses, no período de 1º de abril de 2017 a 31 de março de 2018. Confira abaixo o cronograma completo e acesse o edital aqui.  

Período para inscrição dos projetos de extensão pelos coordenadores 1 de fevereiro a 3 de março
Período de avaliação dos projetos homologados pela Comissão de Avaliação 6 a 17 de março
Divulgação do resultado preliminar na página da Secult e da UFSC 20 de março
Data para entrega de recursos pelos coordenadores na SeCArte 21 e 22 de março
Prazo para avaliação dos recursos pela SeCArte 27 a 29 de março
Divulgação do resultado final na página da SeCArte e da UFSC 31 de março
Prazo para os coordenadores contemplados enviarem à SeCArte o termo de compromisso do coordenador e os documentos dos bolsistas (formulários disponíveis na página da SeCArte). 31 de março a 10 de maio

 

UFSC recepciona 154 alunos internacionais no auditório da Reitoria
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

A recepção dos alunos internacionais do primeiro semestre de 2017 será realizada no dia 3 de março (sexta-feira), no Auditório da Reitoria da UFSC. A Universidade receberá 154 intercambistas de 20 países diferentes pelos programas Incoming, Bracol, Bramex, AUGM e Leiden. O programa Incoming recebe estudantes de instituições conveniadas com a UFSC por meio de acordos bilaterais, sem o pagamento de bolsas. Os demais são programas dos quais a UFSC faz parte, recebendo e enviando estudantes, e incluem auxílio financeiro. O evento contará com a presença do reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, da vice-reitora, Alacoque Lorenzini Erdmann, e do secretário de Relações Internacionais, Lincoln Fernandes e da coordenadora de Programas Internacionais, Elenir Vieira.

 

Gráfico palestra

UFSC apresenta Sistema de Gestão de Riscos para Transferências Financeiras à Saúde ao Fundo Nacional de Saúde
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

O Sistema de Gestão de Riscos para Transferências Financeiras à Saúde, desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi apresentado em reunião realizada com membros do Fundo Nacional de Saúde (FNS) no dia 16 de fevereiro em Brasília. O sistema visa agregar valor ao processo de tomada de decisão sobre a qualificação técnica e a capacidade operacional das entidades privadas sem fins lucrativos que pleiteiam a obtenção de recursos da União.

De acordo com a equipe responsável pelo projeto, a fase de implantação no FNS inicia no dia 6 de março. Em um segundo momento, o uso se estenderá às áreas finalísticas do Ministério da Saúde (MS). O sistema foi criado por uma equipe multidisciplinar da UFSC, com o apoio de técnicos e especialistas do FNS. Segundo o coordenador da equipe, professor Lúcio Botelho, houve etapas de discussões presenciais e on-line ao longo do processo, de modo a abordar todos os pontos essenciais para o cumprimento dos objetivos propostos. Fruto de um termo de execução descentralizada firmado em 2013, o sistema é uma ferramenta desenvolvida por meio de uma metodologia de gestão de risco integrada que trabalha com um sistema de Raciocínio Baseado em Casos (RBC).

Para o diretor executivo do FNS, Antonio Carlos Rosa de Oliveira Junior, o grande volume de recursos repassados pelo MS com a finalidade de aperfeiçoar o Sistema Único de Saúde (SUS) e a existência de um grande número de convênios em Tomada de Contas Especial (TCE), devido a problemas de execução técnica ou gerencial das entidades, justifica a implantação do sistema de gestão de riscos no Ministério da Saúde. “A TCE significa o retorno do recurso ao erário por algo que deixou de ser feito, por vários motivos, inclusive a falta de acompanhamento tempestivo para evitar que o processo acabe em TCE. Há a necessidade de dispormos de uma ferramenta capaz de identificar proativamente quais riscos estão relacionados à transferência de recursos públicos destinados à saúde”, argumentou o gestor do FNS.

A utilização do sistema no MS traz uma nova perspectiva para o processo de liberação e uso de recursos públicos e representa uma ferramenta com inúmeras possibilidades para a gestão e a governança, segundo Oliveira Junior. “O objetivo desse sistema é rastrear a utilização do recurso para que este seja utilizado com efetividade. Isso representa uma mudança de paradigma, de cultura. Temos que parar de mandar dinheiro e buscar o dinheiro de volta. Temos que mandar o dinheiro e cobrar sua efetiva aplicação e punir o gestor que não usa o recurso de forma adequada. É o momento de sermos proativos e não reativos”, defendeu.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Fundo Nacional de Saúde

Coral infantil do Aplicação recebe inscrições de crianças entre 6 e 12 anos
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

O Cantoria, projeto de extensão da disciplina de Arte – Música do Colégio de Aplicação, está com inscrições abertas. Os ensaios são realizados às terças-feiras das 18h às 19h15 na sala de Música I do CA. O projeto reúne crianças entre 6 e 12 anos para aprender música cantando,

Não será realizada nenhuma seleção vocal, entretanto, será exigido dos participantes e de suas famílias o máximo comprometimento com a atividade (como concentração e assiduidade nos ensaios e apresentações).

O repertório é composto por peças de diversas origens e estilos, enfatizando peças escritas especificamente para crianças. O grupo se apresenta em eventos do Colégio de Aplicação e em outros espaços da UFSC. Desde 2011 participou de todas as edições da SEPEX – Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC.

O trabalho é desenvolvido pelos professores Cristiane Reys (coordenadora do projeto) e Luciano Py de Oliveira.

Interessados devem enviar e-mail para cristiane.reys@ufsc.br até 7 de março, quando iniciam os ensaios. As inscrições serão realizadas por ordem de chegada.

cantoria

Mapeamento na graduação e na pós reúne disciplinas voltadas ao empreendedorismo, inovação e conhecimento
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

A Via Estação Conhecimento, grupo de pesquisa em habitats de inovação da UFSC, realizou uma trilha de disciplinas da graduação e da pós-graduação. O mapeamento levou em consideração as disciplinas voltadas para as áreas de empreendedorismo, inovação e conhecimento disponíveis nos centros de ensino da Universidade.

O objetivo é divulgar aos alunos que estão interessados em se aprofundar nesses temas e contribuir para a disseminação da cultura empreendedora dentro da Universidade.

Mais informações: via.ufsc.br/trilhas-de-disciplinas

Pós em Oceanografia promove seminário sobre Gestão de Sistemas Costeiros e Oceânicos
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizará no dia 14 de março o 3º Seminário de Dinâmica e Gestão de Sistemas Costeiros e Oceânicos. O evento será no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).


Programação:

8h30 às 9h30 : Dinâmica do manto e sua influência na superfície terrestre e marinha.

9h30 às 10h30 : Novos dados sobre um mega campo de pockmarks no talude sul-brasileiro: morfologia e sedimentação;

10h30 às 11h30 : Florestas submersas dos trópicos aos Pólos.

UFSC divulga novas chamadas de calouros do Sisu e Vestibular 2017
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

O Departamento de Administração Escolar divulgou os editais 4 e 5, referentes à 4ª chamada do Vestibular 2017 e vagas suplementares para negros, indígenas e quilombolas e à 2ª chamada do Sisu 2017. Nos dois casos, a matrícula on-line será de 23 a 28 de fevereiro, e a presencial, nos dias 14 e 15 de março.

Os calouros devem comparecer, para a matrícula presencial, à coordenadoria de curso localizada no campus que irão frequentar, no horário das 8h às 12h e das 14h às 18h, munidos da documentação exigida e publicada nas portarias 01, 03 e 04/Prograd/2017 (Vestibular) e 02/Prograd/2017 (Sisu).

A confirmação da etapa on-line da matrícula deve ser realizada pelo site.

A comprovação de renda dos candidatos cotistas deve ser realizada durante o período de matrícula presencial.

Confira a lista do Vestibular UFSC 2017.

Confira a lista do Sisu UFSC 2017.

 

Time de futebol masculino da UFSC promove avaliação de novos atletas
Publicado em 23 de fevereiro de 2017

A equipe de futebol masculino da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promoverá uma avaliação de alunos-atletas no dia 8 de março, durante a primeira semana de aulas, para o ingresso no plantel do time.

A equipe é a atual campeã estadual universitária e representará Santa Catarina no Campeonato Brasileiro que será realizado em abril no Mato Grosso do Sul. O time da UFSC também disputará os Jogos Universitários Catarinenses, que serão disputados em julho.

O coordenador do projeto, Juliano Fernandes da Silva salienta a importância da seletiva: “A nossa equipe chega ao seu quarto semestre com novos desafios. Enfrentaremos equipes fortes e bastante competitivas tanto no Brasileiro quanto no Catarinense Universitário. Acreditamos que uma nova avaliação possibilitará encontrarmos novos alunos-atletas para que agreguem aos demais que já fazem parte da equipe”.

A avaliação ocorrerá a partir das 18h do dia 8 de março no Campo Atlético do Centro de Desportos (CDS).

Para participar da seletiva é obrigatório o preenchimento do formulário, disponível aqui.

Novos procedimentos da UFSC para assistência estudantil
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) da UFSC informa que adotará novos procedimentos para a realização do cadastro e, portanto, da seleção dos estudantes aos programas de assistência estudantil a partir do ano de 2017.

As principais alterações referem-se ao indicador utilizado para seleção aos auxílios e benefícios, bem como a unificação do processo de validação de renda para ingresso na UFSC com o cadastro da Prae, evitando-se a duplicidade de procedimentos para fim similar.

Com as mudanças, busca-se ampliar o acesso à concorrência dos benefícios conferidos pelos programas de assistência estudantil, uma vez que simplifica e desburocratiza o cadastramento de estudantes como público-alvo das políticas de permanência estudantil. O procedimento passa a ser mais simples e gera um índice que servirá como credencial à concorrência dos editais, até 5 anos, sem que haja necessidade de outros constantes recadastramentos, resguardada, no entanto, a possibilidade de atualização cadastral pelo estudante que tenha alteradas suas condições econômicas.

Quem é o público-alvo da assistência estudantil na UFSC?

São os estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação presencial da UFSC que ainda não tenham concluído um curso de graduação e oriundos de famílias com renda bruta familiar mensal de até 1,5 salário mínimo per capita. Este público-alvo já é adotado pela Prae, em conformidade com o que preconiza o Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES – Decreto 7.234/2010). Estudantes de mobilidade acadêmica provenientes de outras Instituições de Ensino Superior e estrangeiros conveniados de outras Instituições não são público-alvo dos programas de assistência estudantil.

Como era feita a seleção para os programas?

O estudante realizava o cadastro na Coordenadoria de Assistência Estudantil (CoAEs), por meio de entrevista e entrega de documentação à equipe de assistência estudantil que procedia à análise de cada caso, processo resultante num Índice Socioeconômico (ISE). Após este procedimento, o estudante concorria aos editais dos auxílios e benefícios, sendo a seleção feita do menor para o maior ISE.

Como será a seleção para os programas a partir de 2017?

O estudante, quando aprovado no vestibular em vagas destinadas às ações afirmativas, já precisa passar por comissão para, mediante apresentação de documentos cabíveis, comprovar a situação econômica sua e de sua família. Começando no ano de 2017, a documentação apresentada será aproveitada para a geração de um índice expressivo da renda familiar. Este numeral é que substituirá o anterior (ISE) e passará a informar a seleção de cada um dos programas de assistência estudantil, que será feita, então, com base na renda bruta mensal per capita, considerando-se ordenação da menor para a maior, conforme o número de auxílios e benefícios disponibilizados pelos editais específicos.

De que forma será realizado o cálculo da renda per capita?

O cálculo da renda familiar per capita será realizado por meio da divisão da renda bruta mensal do grupo familiar pelo número de pessoas que o integram, em consonância com os critérios estabelecidos pela Portaria Normativa nº 18 do MEC, em seu art. 7º e do edital “Normas para Elaboração do Cadastro da PRAE”, a ser publicado.

Como será o processo para o candidato aprovado no Vestibular ou com ingresso SiSU?

O candidato aprovado no Vestibular ou com ingresso pelo SiSU que optou pelo Programa de Ações Afirmativas – renda familiar de até 1,5 salário mínimo per capita, realizará, na etapa de sua matrícula presencial, a validação da autodeclaração de renda em entrevista com comissão especialmente designada para esse fim. Essa validação de renda será utilizada para a confecção do cadastro na Prae da seguinte forma:

1ª) Se o resultado dessa validação for deferido, o estudante receberá um ‘Formulário Síntese da Validação de Renda’ que será norteador para o estudante preencher o cadastro da PRAE;

2ª) Após a realização da matrícula presencial, o (a) estudante que deseja concorrer aos auxílios e benefícios de assistência estudantil preenche e envia o cadastro PRAE no link: beneficiosprae.sistemas.ufsc.br, observando os prazos determinados nos editais;

3ª) A CoAEs confere os dados do cadastro enviado pelo estudante e defere/conclui o cadastro, habilitando o estudante a pleitear os auxílio e benefícios;

Atenção: Os(as) estudantes que, mesmo optando pelo Programa de Ações Afirmativas, ingressaram pela classificação geral, deverão seguir os procedimentos constantes no item 7.

Apenas os estudantes optantes do Programa de Ações Afirmativas podem concorrer aos editais?

Não, todos os estudantes da UFSC, independente de sua forma de ingresso, podem fazer o cadastro na Prae e concorrer aos editais dos auxílios e benefícios, desde que sejam público-alvo (renda bruta familiar  de até 1,5 salário mínimo per capita).

Qual é a forma de acesso dos estudantes ingressantes pela classificação geral?

Esses estudantes deverão ficar atentos ao Edital de Normas para Elaboração do Cadastro da Prae a ser publicado na página da pró-reitoria. Este edital indicará o período de entrega dos documentos comprobatórios de renda a serem providenciados e apresentados pelo estudante em entrevista com assistente social. Após este processo, o estudante estará habilitado a concorrer aos editais dos programas e benefícios de assistência estudantil.

Essas modificações acarretarão alguma alteração para os estudantes da UFSC que já possuem cadastro concluído na Prae?

Todos os estudantes que já possuem cadastro concluído na Prae terão condições de se inscrever nos editais dos auxílios e benefícios. Contudo, todos os estudantes, ingressantes ou veteranos, concorrerão pela renda bruta familiar per capita, da menor para a maior, conforme o número de auxílios e benefícios disponibilizados em cada edital.

Ainda, importante reiterar que, conforme Portaria nº 14/2016/Prae, a validade dos cadastros foi ampliada para cinco anos, encerrando a necessidade de realização de novos procedimentos antes deste prazo, salvo se alteração na condição do estudante motivar sua atuação no sentido de atualizar as informações de seu cadastro.

 

Núcleo irá oferecer curso de planejamento em permacultura para docentes da UFSC
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

O Núcleo de Permacultura da UFSC (NEPerma/UFSC) pretende oferecer um curso de planejamento em permacultura voltado para docentes da UFSC. O curso tem a mesma carga horária e conteúdo do Permaculture Design Course, reconhecido internacionalmente e compartilhado há cinco anos pelo NEPerma em nível de graduação na UFSC através da disciplina Introdução à permacultura. O programa do curso será idêntico ao da disciplina.

O objetivo é fortalecer a permacultura dentro da UFSC, sensibilizar e unir professores entusiastas dessa ciência sistêmica de cunho ambiental, para a estruturação de um curso de graduação em Permacultura, cuja proposta está sendo construída pelo NEPerma.

O NEPerma está coletando informações de professores interessados em realizar o curso para programar e dimensionar uma turma. Interessados em participar do curso devem preencher o formulário.

Mais informações no site.

Reportagem da TV UFSC recebe prêmio em concurso de jornalismo ambiental
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

A reportagem “Gato por Lebre”, da série Consciência, foi a vencedora na categoria Estudante do VIII Prêmio Unochapecó – Caixa de Jornalismo Ambiental. Realizada pelo estudante do curso de Jornalismo da UFSC, Lucas Krupacz, a reportagem aborda o projeto “Gato Por Lebre”, do Laboratório de Polimorfismos Genéticos da UFSC. A entrega do prêmio foi na segunda-feira, 20 de fevereiro. Confira o episódio completo:

Primeiro episódio da série produzida pela TV UFSC, “Gato por Lebre” mostra como a ciência e a tecnologia podem ajudar a identificar fraudes em alimentos. Nesse projeto, os pesquisadores da UFSC coletam amostras dos peixes vendidos em restaurantes e peixarias da Grande Florianópolis e comparam com os códigos genéticos dessas espécies. Não é raro encontrar peixes mais baratos vendidos no lugar de espécies importadas, como a truta vendida no lugar do salmão, por exemplo.

A série Consciência tem como objetivo mostrar pesquisas e tecnologias desenvolvidas na Universidade e que impactam o dia-a-dia das pessoas. Criada pelo servidor técnico da UFSC Jonatan dos Santos, a série aborda iniciativas nas mais diversas áreas do conhecimento, como meio ambiente, saúde, tecnologia, acessibilidade.

Participam do projeto o designer gráfico Andrei Krepsky de Melo e a professora do curso de Jornalismo, Tattiana Teixeira. O episódio vencedor contou com imagens de Paula Barbabela e produção de Marina Simões e Laura Tuyama. Além de “Gato por Lebre”, outros cinco episódios integram a série:

  • Pele Artificial
  • Lixo Zero
  • Captura de Movimentos
  • Mapas Táteis
  • Cidades Inteligentes

Assista aos episódios da série Consciência, da TV UFSC.

 

DIVULGA UFSC – 22/02/2017 – edição semanal – número 832
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

www.divulga.ufsc.br – 22/02/2017 – Edição semanal 832

UFSC divulga segunda chamada de calouros remanejados para o primeiro semestre

 

O Departamento de Administração Escolar (DAE) divulgou a segunda chamada para os candidatos matriculados no segundo semestre e remanejados por opção ao primeiro semestre de 2017. Os estudantes convocados devem comparecer na coordenadoria do curso localizada no campus em que irão frequentar para retirar o documento comprobatório de matrícula e iniciar as aulas no primeiro semestre letivo de 2017. O edital está disponível aqui. Mais informações  pelo e-mail: Descrição: Esta imagem contém um endereço de e-mail. É uma imagem de modo que spam não pode colher. e pelos telefones: (48) 3721-7402 / (48)3721-7405.

Pós-graduações da UFSC e PNPD da Capes recebem inscrições para seleção de novas turmas

Confira aqui a lista dos Programas de Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e do Programa Nacional de Pós-Doutorado da Capes que recebem inscrições para processo seletivo de novas turmas. Mais informações de outros programas no site da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (Propg).

Obras de duplicação da Edu Vieira alteram acesso ao Centro de Desportos

As obras de duplicação da Rua Deputado Antônio Edu Vieira alteraram um pouco a rotina da comunidade universitária. A mudança ocorreu no acesso ao estacionamento do Bloco Administrativo e do Bloco 5 do Centro de Desportos (CDS), que passa a ser realizada agora em frente ao primeiro, com um estacionamento lateral que está em fase de construção e um acesso à direita do Bloco Administrativo para o Bloco 5. A Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF), responsável pela obra, executou a mudança a partir do último dia 13 de fevereiro. Continue a leitura>>.

Minicurso com convidado de Stanford inicia 5º Encontro de Física e Astronomia

O 5º Encontro de Física e Astronomia teve início nesta segunda-feira, 20 de fevereiro, no Departamento de Física da UFSC. E um dos eventos que inaugurou os trabalhos semanais foi o minicurso de Física e Empreendedorismo, ministrado em parceria por Gregório Faria e Duc Duong, convidado da Universidade de Stanford, de Palo Alto, California. Confira aqui a programação completa do evento .

UFSC recebe 58 novos servidores

Nesta segunda-feira, 20 de fevereiro, 58 novos servidores tomaram posse na UFSC. Em cerimônia realizada com a presença de pró-reitores e representantes de diversos centros de ensino, ingressaram na instituição 51 professores; cinco tradutores intérpretes; um auxiliar em administração e um assistente em administração. Continue a leitura » » . Cerca de 150 novos técnicos-administrativos em Educação (TAEs) participam, a partir desta semana, da primeira turma de 2017 da capacitação de Iniciação ao Ambiente Institucional.

Hospital Universitário necessita de doação de sangue dos tipos A+ e O+

O Serviço de Hemoterapia do Hospital Universitário (HU/UFSC) solicita com urgência a cooperação de todos os potenciais doadores de sangue dos tipos “”A+” e “O+”, pois o hospital precisa manter o estoque de sangue e derivados na proximidade com o carnaval.  Confira o local e horário para doação.

Centro de Desportos divulga cronograma e edital das atividades esportivas oferecidas à comunidade

A Coordenadoria de Extensão do Centro de Desportos (CDS) divulgou o cronograma e edital das atividades esportivas oferecidas à comunidade para o primeiro semestre de 2017. Serão oferecidas atividades de condicionamento físico e musculação, danças, tênis, ginástica, pilates, yoga, atletismo, educação esportiva para crianças, judô infantil, Programa de Prevenção e Reabilitação Cardiorrespiratória – Procor, rugby e voleibol para a terceira idade. As listas com as informações sobre as turmas (horários, valor de taxa, número de vagas) estarão disponíveis a partir do dia 24 de fevereiro, no site http://portalcds.ufsc.br/extensao-atividades-fisicas-para-a-comunidade/ e no mural da Coordenadoria de Extensão, situado no hall do Prédio Administrativo do CDS. Mais informações: (48) 3721-9925 ou no site.

Matrículas para atividades do Neti acontecem nesta semana

O Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti/Proex), abrirá matrículas nesta semana, de 22 a 24 de fevereiro, das 8h30 às 11h30. No primeiro semestre, serão ofertadas mais de 400 novas vagas para cursos, oficinas e outras atividades. É necessário ter mais de 50 anos e apresentar RG, CPF e endereço completo. Mais informações com a Coordenadoria do Núcleo de Estudos da Terceira Idade pelo telefone (48) 3721-6198. Confira as atividades ofertadas pelo Neti em 2017-1.

Pesquisadoras da UFSC estudam bactérias na Antártica

Duas estudantes de Agronomia da UFSC, Carolina Alves Fernandes e Giulia Fabrin Scussel, estiveram na Antártica por 24 dias entre janeiro e fevereiro participando de uma pesquisa sobre as bactérias presentes naquele ambiente e sua ligação com as mudanças climáticas que acontecem no planeta. As alunas trouxeram as amostras coletadas para a Universidade, para serem analisadas. A pesquisa é realizada por meio do Laboratório de Ecologia Molecular e Extremófilos (LEMEx), do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia do Centro de Ciências Biológicas (CCB), sob a coordenação do professor Rubens Duarte. Continue a leitura>>.

Alexandre Marino assume a Pró-Reitoria de Graduação

O professor Alexandre Marino Costa, do Departamento de Administração, é o novo Pró-Reitor de Graduação da UFSC. Ele sucede a professora Tereza Cristina Rozone de Souza, que reassume a direção do Departamento de Ensino. Graduado pela UFSC, Marino tem mestrado em Administração e doutorado em Engenharia de Produção, ambos pela Universidade Federal de Santa Catarina, além de um Pós-doutorado na Open University, Inglaterra. Continue a leitura » » .

Especialização EaD em Gênero e Diversidade na Escola forma 148 profissionais

A primeira edição do curso de Especialização a Distância em Gênero e Diversidade na Escola (GDE), promovido pelo Instituto de Estudos de Gênero (IEG/UFSC), financiado pelo Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC), teve dois anos de duração e acaba de graduar 148 especialistas. O curso, que já foi realizado em duas edições em nível de aperfeiçoamento, com três meses de duração, teve sua primeira turma de especialização, com aulas via plataforma Moodle e módulos presenciais em cinco cidades do estado, com temáticas voltadas ao debate sobre gênero, sexualidades, diversidades, raça e etnia e deficiência. Continue a leitura » » .

Laboratório de Moluscos Marinhos comunica os produtos excedentes para comercialização

O Laboratório de Moluscos Marinhos (LMM), que integra o Departamento de Aquicultura  (CCA/UFSC), comunica a disponibilidade de sementes de ostras do pacífico excedentes produzidas por sua unidade situada na Estação de Maricultura Professor Elpídio Beltrame (Servidão dos Coroas, 503, Barra da Lagoa). Encontra-se disponível para venda um lote de 690.000 sementes diploides de ostras do pacífico ao valor de R$ 20 o milheiro e um lote de 325.000 sementes triploides de ostra do pacífico ao valor de R$ 24 o milheiro. Continue a leitura>>.

Pró-Reitoria de Extensão abre inscrições para Probolsas 2017

A Pró-Reitoria de Extensão (Proex) recebe até 24 de fevereiro as inscrições para o Edital Probolsas 2017. O objetivo é estimular a participação de estudantes de graduação nos projetos de extensão desenvolvidos pela UFSC. As bolsas terão vigência de 1º de abril a 31 de dezembro. Participam da seleção professores do quadro da Universidade que sejam coordenadores de projetos de extensão. Cada professor(a) poderá inscrever um único projeto e concorrer a, no máximo, duas bolsas. Mais informações no edital.

Departamento Artístico-Cultural seleciona instrutores para oficinas de teatro

O Departamento Artístico-Cultural (DAC/SeCArte) abriu Chamada Pública para seleção de instrutores para as oficinas de Improvisação Teatral, Mimo Corporal e Máscara Neutra (adultos) e Oficina de Improvisação Teatral (Adolescentes), na modalidade de prestação de serviço por tempo determinado para o ano de 2017 no Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte. A proposta deve ser enviada com a documentação solicitada por e-mail para: oficinas.dac@contato.ufsc.br  até às 18 horas do dia 24 de fevereiro de 2017.

Manual de Desenho Técnico ganha nona edição pela Editora da UFSC

Manual Básico de Desenho Técnico, dos professores Henderson José Speck e Virgílio Vieira Peixoto, pesquisadores do Departamento de Expressão Gráfica da UFSC ganhou mais uma edição. É a nona de um dos títulos recordistas da Editora da UFSC, uma obra que reúne o que há de mais completo e atual sobre uma área fundamental para a formação do engenheiro e do arquiteto. Continue a leitura » » .

Acompanhe outras notícias da UFSC
noticias.ufsc.br

Confira a programação da TV UFSC
tv.ufsc.br

Siga a UFSC nas redes sociais
Facebook
TwitterFacebook


Contatos com a produção deste informativo:

Coordenadoria de Comunicação Organizacional e Novas Mídias – Agecom
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Campus Reitor João David Ferreira Lima. Trindade. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
divulga@contato.ufsc.br / +55 (48) 3721-2825 / 3721-2824

Acesse nossa Política Editorial

Para deixar de receber nossos boletins, clique aqui.

 

 

Núcleo da UFSC oferece aulas de português para estrangeiros com pedido de visto humanitário ou de refugiado
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

O Núcleo de Pesquisa e Ensino de Português – Língua Estrangeira (Nuple) da UFSC irá oferecer curso de Português gratuito, direcionado a estrangeiros com pedido de visto humanitário ou de refugiado.

Os cursos, coordenados pelas professoras Rosane Silveira e Donesca Xhafai, começam no dia 4 de março e encerram-se no dia 1º de julho, com as aulas sendo realizadas sempre aos sábados, das 9h30 às 12h, na sala Hassis do Centro de Comunicação e Expressão, prédio B, no campus Trindade.

As inscrições devem ser enviadas até 4 de março.

Mais informações sobre o curso e sobre o processo de inscrição podem ser obtidos pelo e-mail projetoplam@gmail.comou pelo Facebook.

Professores titulares-livres e do Magistério Superior e Tradutor e Intérprete de Libras tomam posse
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

A UFSC realizará duas cerimônias de posse de servidores nesta quinta e sexta-feira, 23 e 24 de fevereiro. A primeira será as 11h, no Gabinete da Reitoria, e empossará quatro novos professores que irão atuar nos departamentos de Ciência e Tecnologia de Alimentos, de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos, de Metodologia de Ensino e de Farmacologia. Esta é a primeira posse de professores na modalidade “titulares-Livres” na Universidade, que são docentes oriundos de outras instituições federais. Para a UFSC a vinda destes profissionais é uma conquista árdua, pois vem trabalhando neste processo desde 2015, já que necessita de autorização do governo federal para este tipo de contratação.

A de sexta-feira, 24, será as 12h30 na Sala dos Conselhos, e serão empossados professores do Magistério Superior que irão atuar nos departamentos de Metodologia de Ensino, de Ciências da Administração, de Educação do Campo, de Geociências, de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos e no Campus de Araranguá. E para o Centro de Comunicação e Expressão (CCE), no campus de Florianópolis, uma Tradutora e Intérprete de Libras.

Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas(Prodegesp) tem feito um esforço para chegar ao início do semestre – 6 de março – com o máximo de professores efetivos em sala de aula. Carla Cristina Dutra Búrigo, pró-reitora, deseja que todos os novos servidores sejam bem-vindos e a Prodegesp se coloca à disposição para “promover ações coletivas e colaborativas com a finalidade de fortalecer o sentimento de identidade e pertencimento com a instituição”.

DIVULGA UFSC – 15/02/2017 – edição semanal – número 831
Publicado em 22 de fevereiro de 2017

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

www.divulga.ufsc.br – 15/02/2017 – Edição semanal 831

UFSC recebe calouros do Sisu e Vestibular para validação da autodeclaração de renda

A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) preparou um esquema especial para a validação da autodeclaração de renda para os candidatos classificados nas categorias “escola pública, renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita” e “escola pública, renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita”/PPI (autodeclarados pretos, pardos ou indígenas) no Vestibular e Sisu. No campus de Florianópolis, são 26 comissões de validação instaladas para receber os 924 novos alunos destas categorias. Depois deste processo, eles devem realizar a matrícula presencial junto à coordenadoria do respectivo curso. Nos outros quatro campi, são esperados 176 estudantes. Continue a leitura » ».

Novos procedimentos de cadastro e seleção de estudantes para assistência estudantil

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) informa que adotará novos procedimentos para a realização do cadastro e, portanto, da seleção dos estudantes aos programas de assistência estudantil a partir do ano de 2017. As principais alterações referem-se ao indicador utilizado para seleção aos auxílios e benefícios, bem como a unificação do processo de validação de renda para ingresso na UFSC com o cadastro da Prae, evitando-se a duplicidade de procedimentos para fim similar. Com as mudanças, busca-se ampliar o acesso à concorrência dos benefícios conferidos pelos programas de assistência estudantil. Continue a leitura » ».

Escola de Extensão da UFSC oferece três cursos para comunidade universitária

A Escola de Extensão da UFSC, com apoio da Fundação de Ensino e Engenharia de Santa Catarina (FEESC), divulga a abertura de inscrições para três cursos de extensão, que serão realizados em março de 2017. O curso de Língua Russa, o Programa de Capacitação para utilização do Moodle -I e Clínica da Psicose: contribuições da psicanálise. Continue a leitura » » .

Alunos de pós-graduação podem se inscrever até dia 17 para vagas de orientador pedagógico e tutor

O Programa Institucional de Apoio Pedagógico aos Estudantes (Piape) abre inscrições até 17 de fevereiro para as vagas de orientador pedagógico e educacional e de tutor de grupos de aprendizagem nas áreas de Matemática, Física, Química, e Leitura e produção textual. As vagas são destinadas a estudantes dos programas de pós-graduação das áreas ofertadas. Edital de seleção e ficha de inscrição estão disponíveis no site apoiopedagogico.prograd.ufsc.br .

Secretaria Estadual da Saúde faz investimentos de R$ 350 mil no HU

O secretário estadual da Saúde, Vicente Augusto Caropreso, anunciou em recente audiência com o reitor Luiz Carlos Cancellier, investimentos no valor de R$ 350 mil em reformas e ampliações no Hospital Universitário. Continue a leitura » » .

UFSC reforça diálogo com o município para a melhoria dos serviços na Farmácia Escola

O reitor Luiz Carlos Cancellier  de Olivo se reuniu na sexta-feira, 10/2, com a direção do Centro de Ciências da Saúde, coordenação do curso de Farmácia, professores e representantes da Farmácia Escola da UFSC para discutir os serviços desenvolvidos e oferecidos nesta última, que podem ser prejudicados caso a paralisação dos servidores municipais, em especial os da área da Saúde, atinja a unidade. Lá trabalham 16 funcionários ligados ao sistema municipal e Cancellier já pediu uma audiência com o prefeito Gean Loureiro e o secretário da Saúde de Florianópolis, Carlos Alberto Justo (Paraná). Continue a leitura>>.

Abertas as inscrições para isenção do pagamento dos cursos extracurriculares

A Coordenadoria de Capacitação de Pessoas (CCP/UFSC) divulga a publicação do Edital nº 10/DDP/PRODEGESP/2017, que torna pública a abertura das inscrições e estabelece as normas para a realização de processo seletivo destinado aos servidores docentes e técnico-administrativos em educação da UFSC, para a obtenção da isenção do pagamento dos cursos extracurriculares de língua estrangeira para a modalidade presencial, a ser promovido pelo Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE/CCE). As inscrições estão abertas até 28 de fevereiro no Sistema Gestor de Capacitação (SGCA). Mais informações no Edital nº 10/DDP/PRODEGESP/2017 e no Portal da Capacitação. Informações referentes aos cursos no site.

Estudantes de Araranguá são selecionados para a segunda fase do Campus Mobile

Integrantes do Laboratório de Experimentação Remota (RExLab), do Campus Araranguá, foram selecionados para a segunda etapa do evento nacional Campus Mobile, realizado pelo Instituto Net Embratel Claro, em parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Desenvolvido pelos mestrandos Carinna Nunes Tulha, Isabela Nardi da Silva e Josiel Pereira, o jogo digital Blackout ensina física através de uma série de puzzles e acesso a experimentos remotos. Continue a leitura>>.

Programa de Pós-Graduação em Física divulga chamada para bolsa PNPD/CAPES

Programa de Pós-Graduação em Física  anuncia a disponibilidade de duas bolsas de pós-doutorado do Programa Nacional de Pós-doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PNPD/CAPES), para o período de dois anos, podendo ser renovada anualmente até no máximo de 60 meses. Continue a leitura>>.

Universidade de Franche-Comté abre inscrições para bolsas de estudo de mestrado e doutorado

A Universidade de Franche-Comté, localizada no Franco-Condado, na França, abriu inscrições para bolsas de estudo de um ano em programas de mestrado e doutorado. As inscrições podem ser feitas até o dia 17 de fevereiro. Mais informações aqui.

Divulgado relatório do inventário de bens móveis da UFSC

O Departamento de Gestão Patrimonial (DGP) entregou no começo de fevereiro ao reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo o Relatório Geral do Inventário de Bens Móveis da UFSC, exercício de 2016. A coleta de dados em todas as unidades acadêmicas e administrativas ocorreu entre 3 e 31 de outubro de 2016. Continue a leitura » » .

5º Encontro de Física e Astronomia da UFSC ocorre de 20 a 24 de fevereiro

V Encontro de Física e Astronomia da UFSC será realizado de 20 a 24 de fevereiro. A programação, que cobre um amplo espectro de temas, é composta por palestras de pesquisadores do Brasil e do exterior, minicursos, seminários e sessões de pôsteres. Mais informações no site do evento.

Inscrições de trabalhos para Colóquio ‘Arte & Estética’

O Colóquio ‘Arte & Estética’, que será realizado dias 5, 6 e 7 de abril no Miniauditório do CFH, recebe submissão de trabalhos para as comunicações até 20 de fevereiro de 2017. Informações no site http://www.efa.blog.br/.

Palestra da pós em Filosofia aborda ‘contrato, virtudes e punição’

O Programa de Pós-Graduação em Filosofia promove a palestra “Contrato, virtudes e o problema da punição”, com o professorDenis Coutinho Silveira (Unisinos), será realizada dia 22 de fevereiro, às 19h, no Miniauditório do CFH. Informações no site.

UFSC sustentável

A Coordenadoria de Gestão Ambiental divulgou a nova “Dica de Sustentabilidade”: VoIP no celular . Acesse o site e confira.

Errata: Ônibus elétrico na UFSC

A UFSC, a Eletra – empresa brasileira especializada em tração elétrica –, a Marcopolo, a WEG e a Mercedes-Benz estão juntas no Projeto de Energia Fotovoltaica, que conta com o primeiro ônibus elétrico brasileiro a ter recargas em uma estação de energia solar. O veículo ficou pronto em 2016 e circula desde o início de dezembro entre o campus de Florianópolis (Trindade) e o Centro Integrado de Pesquisa em Energia Solar, no Sapiens Parque (Cachoeira do Bom Jesus), trajeto de 50 quilômetros, ida e volta. Continue a leitura » » .

Acompanhe outras notícias da UFSC
noticias.ufsc.br

Confira a programação da TV UFSC
tv.ufsc.br

Siga a UFSC nas redes sociais
Facebook
TwitterFacebook


Contatos com a produção deste informativo:

Coordenadoria de Comunicação Organizacional e Novas Mídias – Agecom
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Campus Reitor João David Ferreira Lima. Trindade. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
divulga@contato.ufsc.br / +55 (48) 3721-2825 / 3721-2824

Acesse nossa Política Editorial

Para deixar de receber nossos boletins, clique aqui.

 

 

Nota de pesar: falece servidor aposentado Cláudio Cordeiro Neiva
Publicado em 21 de fevereiro de 2017

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunica, com pesar, o falecimento do servidor técnico-administrativo aposentado Cláudio Cordeiro Neiva, ocorrido em 20 de fevereiro. Cláudio era economista e trabalhou na Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplan).

  • Administradores do Site
  • 1960 - 2015 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) | Central Telefônica - (48) 3721-9000 |
  • Última atualização do site foi em 17 de junho 2011 - 3:20:58